#5 dicas para ter consistência nos estudos para concursos

É bem comum o concurseiro estudar por anos e sequer passar em algum. A situação é a seguinte a pessoa estuda e não consegue resultados, ou depois que é aprovada fica emperrada tentando passar em outro concurso com a vida estagnada: não têm vida pessoal, a vida profissional fica em segundo plano, lazer e relacionamentos nem pensar, depois que passar é que vai se preocupar.
Primeiro preciso assumir algo, eu passei por essas situações e acho que não é nenhum problema. Mesmo que seja normal não devemos achar natural, pois o tempo dedicado aos estudos não voltam, o investimento financeiro pode até voltar, mas o tempo dedicado se foi.
Existem 5 situações bastante comuns que contribuem para isso: recomeçar os estudos sempre que um edital novo está na praça, depender de que um edital seja publicado para estudar, não ter clareza sobre o propósito (o Porquê) de estudar, a inconstância nos estudos, desequilíbrio entre vida pessoal e estudos para concursos.
Pensando nisso, quero deixar #5 dicas baseadas na minha experiência como coachee em processos de coaching para concursos e na observação de outros concurseiros:
#1 Tenha uma missão (pública) inspiradora: a ideia de estudar e passar em uma prova para ganhar bem, não poder ser demitido e trabalhar pouco além de errada moralmente é um senso comum que tem um significado muito não-inspirador, isso não motiva ninguém! Hoje cada dia é mais difícil existir essa situação de prebenda (graças a Deus) e a tendência é que o servidor seja cada vez mais cobrado e a estabilidade mais flexibilizada ou extinta. Tenha uma missão pública inspiradora e o estudo ficará melhor e mais leve.
#2 Encontre um método de estudo adequado a você: dedique-se a aprender um pouco sobre como as pessoas aprendem para descobrir a melhor forma para você estudar. Descubra o seu estilo e forma de aprender ou utilize um método de estudo adequado a você, para isso existem cursos e um coach pode te ajudar muito. Desconfie de fórmulas mágicas e métodos inflexíveis que não respeitem as suas características. Além disso, potencialize seus pontos fortes e neutralize os fracos.
#3 Desenvolva uma estratégia e um plano infalíveis: tenha atenção ao comportamento da maioria e evite cair nessa cilada, é o que chamam de efeito manada. Dicas superficiais e matérias jornalísticas sobre pessoas que tem jornadas de estudos extraordinárias geralmente atrapalham mais do que ajudam. Tenha uma visão de longo prazo, evite fazer o que todo mundo faz e aproveite oportunidades que outras pessoas não enxergam, se diferencie escolhendo uma carreira.
#4 Assuma que você é humano: aceite que você tem limites e que em alguns momentos talvez não seja o melhor para você estudar freneticamente ou há outra coisa mais importante para você se dedicar do que os estudos. É natural que a nossa motivação oscile, busque aproveitar os picos de energia para estudar e neutralizar os vales. Nosso cérebro parece funcionar entre extremos, mas não precisamos das condições perfeitas para ser aprovado e devemos aproveitar quando a maré está a nosso favor. E mais importante, cuide da sua vida pessoal, ou seja, tenha algo que você goste de fazer e não esteja relacionado aos estudos e te energize, tenha também um dia de descanso, um dia que você não se envolva com os estudos.
#5 Procure alguém que conheça o processo e esteja genuinamente disposto a te ajudar: essa é uma dica arriscada pois quando pedimos conselho ou ajuda a pessoas que tiveram sucesso elas tendem a distorcer, simplificar ou dar dicas aleatórias sobre o processo, sem contar o neto da vizinha da sua avó que estudou 2 meses e passou no TCU, SENADO ou CÂMARA. Em alguns casos pode ajudar, o ideal é que essa pessoa que te ajude seja um coach, um mentor que já obteve sucesso em ajudando outras pessoas e ao mesmo tempo reconheça a sua individualidade, pois caso contrário você pode cair no perigo de se comparar com outras pessoas.