Fichamento Escolas da Administração – Contingencial

Conceito

  • A estrutura da organização e seu funcionamento são dependentes da interface com o ambiente

Estrutura

  • Estrutura organizacional: desenho organizacional, forma que a organização adume para integrar seus recursos
  • Estratégia organizacional: plano global de alocação de recursos para atender às demandas do ambiente
  • Quatro fases da organização segundo Chandler:
  • Acumulação de recursos
  • Racionalização de uso dos recursos
  • Continuação do crescimento
  • Racionalização do uso de recursos em expansão
  • Dois tipos de organizações segundo Burns e Stalker:
  • Mecanísticas: estrutura burocrática; detalhado divisão do trabalho; especialização; centralização; hierarquia rígida; comando único; rígido controle; interação vertical; aplitude estreita; regras e procedimentos formais; seguem os princípios universais da Teoria Clássica
  • Orgânicas: estrutura flexível; pouca divisão do trabalho; cargos continuamente alterados; descentralização e delegação; conhecimento da organização como um todo; hierarquia flexível; interação lateral; amplitude larga; comunicações informais; seguem princípios de relacionamento humano da Teoria das relações humanas
  • Pesquisa de Lawrence e Lorsh sobre o ambiente: definiram o conceito de contingência, defende que à organização sobrevive de acordo com a capacidade de diferenciação e integração como resposta às exigências do ambiente:
  • Diferenciação: subsistemas organizacionais (departamentos) desempenham tarefas especializadas e reagem às partes do ambiente que são relevantes para suas tarefas especializadas
  • Integração: processo oposto a diferenciação, processo gerado por pressões do ambiente para obtenção de unidade de esforço e coordenação entre vários departamentos
  • Pesquisa de Joan Woodward sobre tecnologia: pesquisa sobre a correlação entre o uso de princípios das teorias administrativas e o sucesso organização de acordo pela tecnologia aplicada no negócio:
  • Produção unitária ou oficina: produção por unidades ou pequenas quantidades, cada produto é alterado a medida em que é feito
  • Produção em massa: produção em grande quantidades, em linhas de montagem ou por operação de máquinas em linhas de produção ou montagem padronizadas
  • Produção em processo ou automatizada: processamento contínuo que poucos operários monitoram o processo total ou parcialmente automático de produção com participação humana mínima
  • Conclusões de Woodward:
  • O desenho organizacional é afetado pela tecnologia usada pela organização
  • Há forte correlação entre estrutura organizacional e previsibilidade das técnicas de produção 
  • Organizações com operações estáveis necessitam de estrutura diferente das organizações com tecnologia mutável
  • Sempre há predomínio de uma função na empresa
  • Ambiente: contexto que envolve externamente à organização (sistema), situação que a organização está inserida. Características da interação da organização com o ambiente
  • Mapeamento ambiental: à organização precisa mapear o seu espaço ambiental
  • Seleção ambiental: apenas parte das variáveis ambientais participa da experiência da organização, dada a incapacidade de compreensão do ambiente em sua totalidade
  • Percepção ambiental: uma construção de conjunto de informações selecionadas e estruturaras em função da experiência organizacional
  • Consonância: presunções da organização sobre o ambiente são confirmadas na prática é no cotidiano, se houver dissonância à organização busca sanar essa situação em busca de um equilíbrio
  • Desdobramento do ambiente: dois extratos do ambiente, ambiente geral e ambiente tarefa, para facilitar a análise do ambiente
  • Ambiente geral (macroambiente): comum a todas as organizações, afeta direta e indiretamente todas as organizações de maneira genérica, condições comuns (elementos):
  • Tecnológicas
  • Legais
  • Políticas
  • Econômicas
  • Demográficas
  • Ecológicas
  • Culturais
  • Ambiente tarefa (macroambiente): próximo é imediato a cada organização, constitui um segmento do ambiente geral do qual a organização extrai suas entradas e deposita suas saídas, ou seja ambiente de operações, elementos:
  • Fornecedores de entrada
  • Cliente ou usuário
  • Concorrentes
  • Entidades reguladoras
  • Tipologia de ambientes
  • Quanto a estrutura: homogêneo, heterogêneo
  • Quanto a dinâmica: estável, instável
  • Tecnologia: para administração é algo que se desenvolve por meio de conhecimento acumulado e desenvolvido sobre a execução das tarefas (know-how), para teoria contingêncial é uma variável independente que influencia as características organizacionais
  • Tecnologia como variável ambiental: é o componente do meio-ambiente
  • Tecnologia como variável organizacional: é o componente organizacional, incorporada, que influenciar fortemente organização e seu ambiente de tarefa
  • Tipologias para classificação de tecnologia:
  • Tipologia de Thompson: classifica a tecnologia conforme o seu arranjo dentro da organização:
  • Tecnologia de elos em sequência: baseada na interdependência serial das tarefas necessárias para completar um produto
  • Tecnologia mediadora: realizam a ligação entre clientes que são desejam ser interdependentes
  • Tecnologia intensiva: convergência de várias habilidades especializações sobre único cliente
  • Dois tipos básicos de tecnologia Segundo Thompson e Bates
  • Tecnologia flexível: extensão em que as máquinas, o conhecimento técnico e as matérias primas podem ser utilizados para outros produtos ou serviços diferentes
  • Tecnologia fixa: não permite utilização em outros produtos ou serviços, flexível e utilizada para um único fim
  • Dois tipos de produtos:
  • Produto concreto: pode ser descrito com precisão, identificado com a especificidade, medido e avaliado
  • Produto abstrato: não permite descrição precisa nem identificação e especificação
  • Quatro tipos de organização com base no tipo de tecnologia e produto:
  • Tecnologia fixa e produto concreto: as possibilidades de mudança tecnológica são pequenas ou difíceis
  • Tecnologia fixa e produto abstrato: pequena margem para mudança na tecnologia
  • Tecnologia flexível e produto concreto: organização pode fazer, com relativa facilidade, mudanças para um produto novo com diferentes meios de adaptação das máquinas, equipamentos, técnicas, conhecimentos
  • Tecnologia flexível e produto abstrato: organizações com grande adaptabilidade ao meu ambiente
  • Impacto da tecnologia: tecnologia sobre organização é enorme, características:
  • A tecnologia determina a estrutura games acional e o comportamento organizacional (imperativo tecnológico).
  • A tecnologia tornou-se sinônimo de eficiência. 
  • A tecnologiafaz os administradores melhorar em cada vez mais a eficácia e a eficiência
  • Níveis organizacionais: o ambiente impõe desafios externos e quanto a tecnologia impõe desafios internos organização, desafios as organizações diferentes sendo assim três níveis organizacionais:
  • Nível institucional estratégico: nível mais elevado composto por diretores, proprietários ou acionistas e dos altos executivos; É o nível onde as decisões são tomadas, objetivos e estratégias são tomadas.
  • Nível intermediário, tático ou gerencial: entre os níveis institucional e operacional, cuida da articulação interna entre ambos; atua na escolha, captação, distribuição e colocação dos recursos.
  • Nivel operacional ou técnico: resolução de problemas de execução eficiente de tarefas e operações, comporta instalações físicas, máquinas, equipamentos, linhas de montagem, escritórios , balcões de atendimento.
  • Arranjo organizacional: estrutura e o comportamento organizacionais são contingentes devido a:
  • Coações inerentes às tecnologias em ambiente de tarefa
  • Reações organizacionais para minimizar contingências
  • Desenho organizacional: retrata configuração estrutural da organização e implica um arranjo dos órgãos dentro da estrutura no sentido de aumentar eficiência e eficácia organizacional. 
  • Desenho organizacional e ambiente: para a teoria contingencial o desenho deve ser função do ambiente e depende da identificação das seguintes variáveis:
  • Entradas. 
  • Tecnologias. 
  • Tarefas ou funções. 
  • Estruturas. 
  • Saídas com resultados
  • Teoria contingencial trouxe novas abordagens em relação ao desenho organizacional:
  • Adhocracia: estrutura flexível capaz de moldar-se continua rapidamente às condições ambientais em mutação
  • Estrutura matricial (matriz ou grade): combina as formas de departamentalização funcional com a de produto ou projeto, ou seja, é uma estrutura mista, híbrida.
  • Organização por equipes: equipes multifuncionais, participativas, com poder de decisão, geralmente são autônomas e autogeridas, pode ser dos tipos: funcional cruzada ou permanentes.
  • Abordagem em redes (redes dinâmicas): a organização desagrega suas funções tradicionais e as transfere para empresas ou unidades separadas as quais são interligados por meio de uma pequena organização coordenadora, que passa constituir o núcleo central
  • Organizações virtuais: alianças de competências essenciais para atender determinada demanda ou explorar oportunidades específicas
  • Homem complexo: homem como um sistema complexo de valores, percepções, características pessoais e necessidades, características
  • homem é um ser transcional
  • homem tem um comportamento dirigido para objetivos
  • sistemas individuais não são estáticos, mas em desenvolvimento contínuo
  • Modelos contingências de motivação: reconhecem as diferenças individuais em relação as diferentes situações em que estão envolvidos
  • Modelo de Vroom: motivação como um processo que orienta opções de comportamento para alcançar um resultado final (objetivos individuais) por meio de resultados intermediários , ou seja, avalia a motivação o em função do nível de produtividade baseado em três forças básicas para cada indivíduo:
  • expectativas: objetivos individuais sobre dinheiro, aceitação social, reconhecimento
  • recompensas: relação entre produtividade e alcance de objetivos individuais
  • relação entre expectativas e recompensas: capacidade percebida de aumentar a produtividade para satisfazer suas expectativas com as recompensas
  • Modelo de Lawer: trabalho a partir do modelo de Vroom e chegou as seguintes conclusões com relação ao dinheiro:
  • as pessoas desejam o dinheiro porque permite a satisfação de necessidades fisiológicas e de segurança, sociais, de estima e autorrealização
  • as pessoas creem que a obtenção do dinheiro (resultado final) depende do desempenho (resultado intermediário) por isso se dedicam ao desempenho
  • Modelo de impulsos motivacionais: com base em quatro classes de impulsos básicos que dirigem o comportamento humano:
  • Impulso de adquirir: possuir, ter, ganhar, conquistar, relacionados a necessidades psicológicas
  • Impulso de formar laços: amizade, relacionamentos, aceitação social, reconhecimento, vida social e confiança, relacionado a necessidades sociais
  • Impulso de compreender: conhecimento, habilidades, competências, contribuição, relacionado a necessidades de autorrealização
  • Impulso de defender: segurança, proteção, garantia, equidade, justiça, relacionado a necessidades de segurança
  • Existem 4 alavancas organizacionais para atuar nos impulsos: sistema de premiação e recompensas, cultura organizacional, desenho do trabalho, gestão do desempenho
  • Clima organizacional: qualidade ou propriedade do ambiente organizacional percebida e experimentada pelos participantes da organização; o clima influencia o comportamento das pessoas; é o quadro mais amplo da influência ambiental sobre a motivação, dimensões:
  • Estrutura organizacional, Responsabilidade, Riscos, Recompensas, Calor e apoio, Conflito
  • Teoria contingencial de liderança: liderança precisa ser suficientemente flexível e adaptável às circunstâncias e situações, ou seja, é considerada uma função de inúmeras variáveis. O líder deve ler e interpretar cada situação para definir o estilo mais adequado a seguir para alcançar objetivos e corresponder às expectativas
  • Modelo de Fiedler: não existe um único estilo de liderança para qualquer situação, pois os estilos são contingenciais, 3 dimensões situacionais que influenciam a liderança eficaz: relações líder-membros, estrutura de tarefa e poder da posição do líder. Além disso o líder pode apresentar 2 orientações: para relações humanas, para tarefa.
  • Outros modelos de liderança: existem outros modelos de liderança, a teoria contingencia apresenta aspectos e desafios:
  • Aspectos:
  • Comportamento e relacionamentos do líder.
  • Visão e leitura da situação e direcionamento estrateg1co.
  • Comunicação e compartilhamento
  • Valores e cultura.
  • Motivação e empowerment.
  • Criação e desenvolvimento de equipes.
  • Foco em metas e resultados.
  • Paixão, consistência e capacidade cognitiva.
  • Principais desafios da liderança:
  • O que o líder faz e o que os componentes esperam
  • Como o líder modela seu caminho
  • Como inspirar uma visão
  • Como desafiar o processo
  • Como habilitar os outros a agir
  • Estratégia organizacional: comportamento global e contingente da organização que busca compatibilização das condições internas às condições externas (ambiente), segundo a teoria contingencial. Abordagens:
  • Escola ambiental: formulação estratégia funciona como um processo reativo às forças ambientais, pois visualização o ambiente como ator e não fator e a organização como elemento passivo que reage a um ambiente que estabelece as condições do jogo.
  • Escola do design (desenho estratégico ou abordagem de adequação): processo deliberado e consciente, sob responsabilidade do executivo principal, de concepção estratégica busca compatibilizar aspectos internos da organização e aspectos externos do ambiente, geralmente se utiliza uma matriz SWOT
  • Escola do posicionamento, modelo do Boston Consulting Group – BCG: modelo de posicionamento estratégico com base no portifólio de produtos com diferentes taxas de crescimento e participação no mercado
  • Escola de posicionamento, modelo de Porter de análise competitiva: estratégia de negócios com base na estrutura do mercado (indústria) relaciona 3 estratégias genéricas com base nas 5 forças do mercado (ambiente)
  • 5 forças: ameaça de novos entrantes, poder de barganha dos fornecedores, poder de barganha dos clientes, ameaça de produtos substitutos, intensidade da rivalidade entre organizações concorrentes
  • 3 estratégias genéricas: liderança em custo, diferenciação, foco.

Principais autores

  • Chandler,
  • Burns e Stalker
  • Woodward e Lawrence
  • Lorsch

Analise crítica

  1. Relativismo em administração
  2. Bipolaridade contínua
  3. Ênfase no ambiente
  4. Ênfase na tecnologia
  5. Compatibilidade entre abordagens de sistema fechado e aberto
  6. Caráter eclético e integrativo

Publicado por

Guilherme

- Administrador pela Universidade de Brasília - UnB - Servidor público federal no cargo de Analista Administrativo da Agência Nacional de Transporte Aquaviários. - Foi coordenador de cursos a distância na ENAP, na área de educação, cargo Técnicos em Assuntos Educacionais. - Atuou ainda no IRBr - Instituto Rio Branco, Banco de Brasília - BRB e na Secretaria de Educação do Distrito Federal, todos mediante aprovação em concursos públicos - Especialista em Gestão Pública pela AVM Faculdade Integrada. - Especialista em Gestão e Regulação pela FGV (cursando)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s